dimanche 8 mai 2016

Bordado em Carmim

Carmim:
Como costurar as palavras no seio
e vê-las vibrar com o grave pulsar
E fazer flores brotarem ao abrir da boca
Descobrir o sangue, guardar o sangue,
deixa-lo ir, escoar  

Para em seu caminho e no olhar
Dar-se conta do que se é.
Do que se está tornando
E imaginar o que será.  

Desvirginar-se

Ir mais:

Como saltar no profundo das águas
e pelo líquido, saber voar
de dentro para fora

Acordar a alma e os sonhos
soprar no ouvido do mundo a cor.
A mesma: que costura  as linhas veias traços vias,
todos os caminhos de dentro.