mercredi 9 septembre 2015

Todos os dias serão de versos nossos.

          De costas
           te vejo
             nu:
    homem menino.

 Conheço o perímetro
   desse teu território
    que de tao perto
      desejo dentro
        desejo meu.

Homem menino meu.
     
            Arrepio
a quentura de tua pele na minha
     enquanto meus poros
               te olham
              e beijam
os mínimos pedaços teus.