vendredi 30 janvier 2015

Manhã nublada

Respirei eu fundo
silenciei depois que me invadiste
De algum modo tua presença
tornou-se perturbadora

De mulher à fêmea
de bicho  à pedra

Sucumbi ao vazio de meu peito
à força aguda de uma ausência
ao despertar silencioso
do vulcão

mercredi 28 janvier 2015

Fragmento para Pele II ou Alvorecer no entre

Das nossas?
quando se encontraram
lá no azul
vi estrelas explodirem
em cascatas luminosas
e silêncio

Fogos de artificio
sinceros, quentes
não de artifício

A carne da boca macia
exalando doce
a cana de açúcar
e frescor em mim

O furacão na nuca
e ali morava
o amanhecer

lundi 26 janvier 2015

Azul claro

Encantar-se
Encantar-me
Encantar-te

Cantou-me
Para encantar-se
Para desencantar-me

Em tamanho canto
não calou um segundo
sequer

dimanche 25 janvier 2015

Será que a partir de hoje
hei de te dedicar poesia?

Diferença/coincidência

O mesmo nome,
mas olhares distintos.
Sobre signos e ascendentes
já não sabemos ao certo

Mas os olhos
como eles me fitam
os outros não fitam

O mesmo é só o nome
todo o resto é diverso

jeudi 22 janvier 2015

Que nos versos sopro vida

A fragilidade  anda tão quente
sobre meus ombros
que sua  presença forte
ao meu lado
faz sua grafia ausente
em minhas linhas

em algum lugar
devo ser forte e
faço-me assim
em meus versos

que são meus só
e de mais ninguém
Aqui sou eu
a amazonas selvagem
que cavalga nua pela
floresta densa

Sou eu a loba
que fita a ameaça
e lhe faz fugir
amedrontada

Sou eu a sereia
que desponta da rebentação
canto abrupto
suntuosa beleza
Dona dos mistérios
que quaisquer lábios
nunca hão de desvendar

Sou eu tantas deusas
de seios fartos e curvas cheias
em que a força se expressa
no amor, na coragem
e na delicadeza...

Pois como a outra e sempre
"antes de ser mulher
sou inteira poeta "

"A brevidade do voo do passarinho..." ou "Para a partida de Dr. Fernando Hoisel, com amor"

Alçaste voo passarinho
depois de pousar leve
frente aos nossos olhos

Foste leve aqui e também
em direção ao alto,
longe
nós, de baixo,
seguimos teu rastro

Tu deixaste em nossos
olhos a saudade
e esses corações
encharcados de amor

 

samedi 17 janvier 2015

Adeus teus cachos meus cuidados

Caíram os cachos
de teu cabelo que eu cuidei.
Eles se foram antes
que eu me despedisse,
sabendo antes tu
que para mim era dado
o feito de seu fim.

Com teus cachos partidos
foram junto meu bem-querer
e esperar.
Tinha guardado nos caracóis
a longa trança que cosia-descosia
até o dia de cruzar teu olhar

Foram-se pois
teus cachos e meu cuidado
e por ti segue então
só tua sombra observadora
e serenamente vazia...

mercredi 14 janvier 2015

Pai

Passaram-se  então os dois dias
O de sua ida e o de sua chegada
Um quase seguido ao outro

Entre eles, sentei-me à porta
pés na escada, mãos ao queixo
Esperei-te

Seguiram-se horas
de meu olhar longo ao vento
o cheiro da palmeira da infância
o  de sol sobre a pele
e de sal nos cabelos rebeldes

Esperei-te e só pude te encontrar assim
nos fios finos da lembrança
e então te ver...

Lembrando-me de nossa despedida
 te convenci,
"está tudo bem"
e senti por suas mãos:  
podia agora partir

E eu, desde esse dia, repito:
"está tudo bem"
Acredito fundo e silenciosamente


E agora, espero-te
sabendo que toda viagem tem volta
e todo amor é eterno