mercredi 31 décembre 2014

Translação

Levantaram-se os últimos raios de luz do dia,
este último desta jornada...
Despeço-me desde agora
até o seu pousar sobre as águas

Quando despejando seu alaranjado
ele nos relembrará dos suspiros
das presenças, das saudades,
das dores e dos amores
desses dias longos que se foram

Na quietude laboriosa e serena do peito,
lanço sobre o céu meu pulsar
de despedida, compreensão,
coragem e esperança.

Levemente,
após o negror estrelado
de desejos e sortes ao mar
Ergo-me e abraço
o novo grande giro
que já vem...


mercredi 17 décembre 2014

Passagem

Eu estive lá e vi o amor desfalecer em seus olhos
vi na esquiva deles a displicência e nossos sopros de adeus

Ensaio para PELE: 1o rabisco.

Infinitos, ínfimos buracos negros
donde  despontam fios
que eriçam ao frio
calor, lambida, júbilo,
ou outra forte emoção .

Cor de vida, de sol,
mais escura ou clara
preta, amarela, alaranjada...

O tempo marca aí sua passagem
em pequenas estrelas, grãos de beleza
que se espalham
em constelações inéditas
indecifráveis, intermináveis.
O pequeno microcosmos
da galáxia íntima
visível apenas a si
e ao que de tão perto digna-se
amor.

Os anos abrem-se em  fendas:
Contos vividos
registrados no desenho
de  traçado fino ou espesso
que desdobra sobre si mesma...
Na fronte, tensão  
Mais abaixo,  riso largo...
Nos olhos, atenção...
No tato gasto, as mãos ...

Reveste e contém
de paixões  a desamores
crueldades e lembranças

Envolve o mistério
do desconhecido pensamento febril
e seu peso absoluto
e variável em dias de sangue
graça ou desespero.

Aquece, aquiesce o outro
gela, agarra ou abandona

A mais ampla possibilidade
de contato entre duas ou mais solidões.
O abrigo silencioso profundo
vasto e  vibrante de almas.





Revoluções I

Quando meu amor me deixou, comprei um vaso de flores.

Oraiê iê ô

Ela diz que desce para banhar meus sonhos
eu aqui na multidão de uma mulher só
desperto com o grave de seu peso
a tocar tudo que é chão.

Gelada, deixa limpa minha pele
derramando suas gotas
lenta-descompassadamente

Meus olhos quentes esfriam dela
de sua coberta molhada
Silencia minha boca
encharcando lábios secos histriônicos
Percebo-a me tocando
Calo  o coração diante de sua beleza.

mercredi 10 décembre 2014

Límpida

Verde água,
claro,calmo,
espelho do sol,
do corpo molhado por dentro,
embaixo.

Longos cabelos,
azul claro em seus seios,
da boca, canto,
enlouquecedor, canto.

samedi 6 décembre 2014

Sinestesia

Essas são minhas notas de adeus
a contramão do meu desejo

E de  olhos cerrados, imagino:

- A temperatura que tens:
aproximadamente 36,8 graus

- O cheiro do teu suspiro:
água de côco

- O cangote:
céu azul, sol de verão

- A textura dos cabelos:
algodão, flor de laranjeira

-A pele do teu rosto:
Pétala de jasmim
...

Acendo os olhos. sobre o chão, o barro, a terra, meus pés, chão.
Caminho, te levo, te deixo.