jeudi 24 juillet 2014

Marieta cantou as desgraças dos homens
ontem e hoje
Passaram-se um, dois anos

Marieta sozinha e a catástrofe
Desce goela abaixo
amargando...

O sol da terra trincando no pino
Dia após dia
em chuva ou tempestade
O calor no lombo para lembrar

Marieta sozinha caminha para o mar

pedido maior

Deus protege
Protege, Deus
Protege
Deus, protege
Por favor, Deus
Protege?
Protege!

Deus, por favor, protege
nosso amor.

vendredi 18 juillet 2014

Recado dos céus

O fogo queimou os cabelos
e para apagá-los
à água entrou primeiro pelos olhos.

Deixou branco o sorriso nos dentes,
Amansou os braços
que descansaram sobre os ombros
da outra.

Ela olhava longe as luzes dos barcos
Imaginava o que os homens de lá faziam.
Viu-se seios sobre ventre
ventre sobre sexo
sexo sobre pernas
mulher sob braços descansados
do desconhecido fogaréu e água.

Os olhos d'água e os olhos de terra
sabem a densidade e a devastação
do fogo sobre os homens
sobre quase tudo.



Depois de tanto fogo
e água
e dança
só se poderia ...

Não
Não  se sabe o que se poderia...

dimanche 13 juillet 2014

Diário de bordo

D'água quente
da sede e da vontade
e também dessa
visgosa solidão.

vendredi 11 juillet 2014

Findou-se o dia
E enquanto promessas se quebravam
A lua  imensa nascia

jeudi 10 juillet 2014

É preciso se dispor a sonhar. Se não há sonho, não há vida.
Te digo, como se repetindo a mim, essas palavras consolo,
clichês de livros de se bem-querer.


lundi 7 juillet 2014

À meu irmão, com amor.

Sangue do meu sangue,
os grãos que caem no solo
seguem rumos tão distintos,
próprios...

Nossos caminhos são opostos,
nossas escolhas são outras.

Que o amor seja resguardado
e nos destroços da guerra
nossos corações não virem pedra.

Para sempre te levarei
nas minhas brincadeiras de criança:
O piloto do avião,
o dono da mansão.
Será sempre você,
meu irmão,
que a infância levou
que desencantou na crueldade da vida

Se por qualquer motivo
hoje não te reconhecer
Meu amor será a saudade
do coração puro,
dos olhos molhados,
do perfume [seu que eu deixei] quebrado,
das brincadeiras vespertinas,
das bobas brigas
de nosso amor.

mercredi 2 juillet 2014

Para um pássaro triste.

Pai,
Sussurro em teus ouvidos
Sempre que te abraço em silêncio:
Te mostro a cor do céu
E do mar quando se beijam
Docemente no horizonte;
Te dedico pelos olhos
Esse amor imenso
Que veio de ti pra mim.
Te devolvo em meu olhar,
Na temperatura das mãos e do abraço
A alegria de ter a vida como palco
A felicidade de ter filhos
e um amor que resiste ao tempo e às guerras ..
Respiro fundo e expiro essas e outras lembranças
para que não te esqueças do júbilo
que é ver cada aurora nascer ...

Pra eu te ter amor

Se te enlaço em meus braços
é pra não mais soltar.

Te contorno as bordas
não te deixo vazar

Amparo todos os teus passos
com minhas mãos sigo teus traços

Tudo sim,
Se antes me olhares de perto
de peito
pupila
iris
janela
alma
corpo
inteiro