mardi 29 juin 2010

Bandeira que me prende.
Me lambe dos pés à cabeça.

dimanche 27 juin 2010

Presente de São João

Eita mania essa de fantasiar!
hoje eu pude imaginar
que essa noite ia acabar era num outro lugar.

Pois que se eu chegasse mais de junto,
A gente ia então prosear
E quem sabe, até,
acalmar a ventania desse lugar.

Que São João é boa coisa,
Mas sem fogueira, quentão e mugunzá...
Na capital é difícil passar...

Mas como que sem hora,
Que danadice essa de me avexar,
Com qualquer presença, menção ou sinal
de quem não conheço já,
Que duas palavras, sequer,
são é difíceis de trocar...

E aí,
chegando em casa
enquanto o sono foi passear,
me resta só é lhe comunicar
os pensamentos que por aqui vieram anuviar,

e dizer que da próxima vez,
eu vou bem é lhe chamar e
nem que seja uma carona
eu vou lhe dar!

mardi 22 juin 2010

Incansável leveza.
Tem gente que é assim,
vem ao mundo para fazer sorrir.

lundi 21 juin 2010

Molhado céu

De quando em vez
tudo é silêncio
Rarefeito ar
que para respirar,
quieto e umidificado se faz.

No longe só cheiro de manhã,
depois de noite chuvosa,
As flores ainda dengosas a se despertar.

Os olhos não repousam,
mandam recados atentos,
sem tilintar, sem ruidar,
voam despersos sobre as janelas.

Ter silêncio é guardar o mundo,
ninar quieto os amores,
guardar forte os sabores,
sorrir e deixar passar...