jeudi 18 février 2010

Lembrança de carnaval.

O último retrato
tirei em álcool e suor
Quando de longe te vi,
de olhos apertados e escancarado riso,

De branco,
Abraço forte,
Os olhos desviando e encontrando,
por quase azar, o que não era vão.

Fez-se minha última lembrança
daquela terça-feira de fogo:
você calando ali a música.

lundi 1 février 2010

Odoyá

Amanhã faz um ano.

E o resto são só as dobraduras desse papel amassado

Amanhã faz um ano.

E as minhas roupas ainda tem esse cheiro,

Meus olhos derretem em seu amarelo.

Amanhã, joguei uma rosa ao mar e colhi solidão,

confusão, corrosão, coerção, compaixão, paixão.

Amanhã me dividi em fatias bem pequenas,

Milimetricamente ajustadas por lâminas frias.

Amanhã corri um tumulto pra te encontrar,

Abracei forte o gosto amargo desses braços,

A revolta seca dos lábios.

Amanhã desconfigurei as lembranças,

Tornei rotina ao avesso,

Caminhei contra o vento,

Senti o barulho cansado da respiração,

Senti secar o rosto molhado

Na brisa quente de verão.

Amanhã ainda tem gosto de sal,

Ainda tem flor vermelha ao mar,

Minha boca em câmera lenta

Dizendo não foi por mal,

Seu coração gelado me fitando

No nó apertado na guela,

A saída do carro,

O diz que não era pra acreditar.

Que amanhã faz um ano e tudo é tão fresco.