dimanche 29 mars 2009

Receita de solidão.

- 2 xícaras de coragem.
-1 copo grande de confiança.
- 3 doses de amizades.
- 1 medida morna de pensamentos tolos.
- 4 colheres de espaço vazio.
- Filmes de amor à vontade.
- 1 pacote de fermento do tipo fico melhor assim.

Modo de preparo.

Em um coração bem apertado e machucado, coloque primeiro o copo de confiança, misture a coragem e o fermento. Deixe descansar em suspiros profundos por algumas horas.
Em seguida, junte os pensamentos tolos ao espaço vazio e aos filmes de amor. Bata bastante.

Quando a mistura estiver bem homogênea, acrescente a coragem, a confiança e o fermento já bem descansados. Bata até conseguir consistência e uma aparência vistosa.
Leve ao forno e deixe crescer.

Está pronta. Bom apetite.

mercredi 25 mars 2009

Vir a ser

Devir,
um dia te encosto na parede,
um dia te calo a boca e os olhos,
um dia te deixo presa e não deixo que fale,

Um dia você não me escapa
e eu te digo com todas as letras,
em bom português informal,
em tom que se faça comprrender.

Te arranco de dentro de mim,
te exponho aos meus infernos,
te deixo implorar pra ir,
ou calar querendo ficar.

Mas ainda te digo,
hoje ou daqui há muito,
com todos os pronomes , verbos, desejos e posses:
eu sou você.

vendredi 13 mars 2009

Em alguma página perdida de setembro passado

Estrangeira de mim,
abro os braços e bem vinda seja
aqui nessa outra.

Suas horas são mais calmas,
Seus olhares sinceros e tranquilos.
Da boca, palavras e desejos
se desenrolam sem pressa.

Ela que veio de fora,
sabe mais do que esse coração daqui.
Sua cor é amarela, de sol caindo no mar,
de flor aberta em chão verde,
de olho contra a luz,
não de qualquer ausência.

Veio de antes da curva,
onde os fluidos são quentes e crus,
entre risos largos e desprendidos.


"Sou de outro lugar
e andei por aqui procurando primavera,
encontrando agosto. "

Seu olhar anda devagar,
Sutileza é seu jeito de falar,
e com silêncio, assim sincero,
ela some,
se vai,
mas deve voltar.