lundi 19 novembre 2007

Tout les jours dans l'après midi j'ouvrie une boîte pleine de rèves de plusiers types.
À la fin du jour je la fèrme sans pouvoir realiser aucun de ces rèves, en donnant seulement un petit morceau d'esperánce pour ses propriétaires.

mercredi 14 novembre 2007

Ela ainda não atravessou todos os oceanos do mundo

(Atenção Concentrada: 5 minutos e Raciocínio Lógico: 30 minutos...

Trabalho rígido: sem poesia, nem movimento.
Sem calor, nem fundamento.
De pretensões generalizadas: lucro, bolso, consumo.)

Abandono aqui o meu amor,
jogo ao mar meus bouquets de margaridas,
congelo em mim alguns desdobramentos de minh'alma,
antes que ela se desfaça em farelos.

Encaixo uma pedra, das mais pesadas, nestes sonhos bandidos de algodão
Peço desculpas ao meu erê, ao isso , à parte de mim que ficou lá dentro,
perdida pelos rios de mim mesma.
À parte de mim que inventava mundos e fundos
e que sorria a todos, esperandoo o doce acontecer...

Me despeço e vou,
sem nome, sem vontade,
sem graça,
com a cabeça fragilmente erguida,
sem que transpareça qualquer tropeço.
Com um gosto forte e salgado de saudade na boca,
com gelo e suor nas mãos,
e com a certeza de que este mundo não cabe em mim.

PS: Era um dia azul como muitos outros e tudo só se repetia.